HIPOCRISIA: Disney usa nome de Michael Jackson para vender box dos Simpsons

Em 2019, após o lançamento do mocumentário que acusa Michael Jackson de abuso sexual infantil, Os Simpsons tomaram uma decisão polêmica. Em uma reação precipitada, anunciaram a retirada do icônico episódio “Stark Raving Dad” do Disney+. O episódio contava com a participação especial do Rei do Pop.

Desde então, o mocumentário caiu no esquecimento, enquanto os acusadores de Jackson foram flagrados mentindo. Hoje, em vez de buscar justiça, buscam mais compensação financeira.


O esforço para linchar a reputação de Michael Jackson não obtive sucesso e mesmo apoio da mídia, e de figuras como David Geffen e Oprah Winfrey, um boicote contra a sua música foi eficaz. Hoje, seu legado continua ressoando mais vibrante do que nunca no entanto, o episódio dos Simpsons permanece excluído do catálogo da Disney+

É curioso notar que nem mesmo Matt Groening, criador da série animada, escapou de controvérsias, sendo revelado como um visitante frequente da Ilha de Jeffrey Epstein. Além disso, episódios envolvendo celebridades com alegações preocupantes, como Steven Tyler, Marilyn Manson e Dustin Hoffman, não foram retirados da distribuição. Isso levanta questionamentos sobre os critérios para a permanência desses episódios, enquanto os de Michael Jackson foi removidos.

Avançando para 2024, parece que os produtores da série animada mudaram de opinião.

Para promover seu lançamento de edição limitada, eles estão usando o nome de MJ na publicidade de forma proeminente. Agora, o episódio “#StarkRavingDad” pode ser adquirido por uma pequena quantia de $500 e seu box especial …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *